SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC2º Dia 27/12

Acordamos as 7 no Hotel Girassol em Santana do Livramento, que de hotel só tem o nome. É mais uma pousada bem simples e o preço tbm é simples, 30 pilas por cabeça sem café da manhã.

Tomamos café numa panificadora. Depois fomos à aduana brasileira pra declarar os eletrônicos que levamos. Segundo a aduana, não é mais necessário declarar objetos de uso pessoal como câmeras, notebook, celulares etc.

A seguir fomos a alfândega Uruguaia para dar entrada e receber o carimbo no passaporte. Perdemos um tempo achando que teríamos que carimbar o papel de autorização de condução de veículos (pq não tem meu nome no documento, apesar de ser dono de parte da Ranger). Na verdade não era necessário, só q não descobrimos na hora pq a moça que atendia na parte de aduana estava demorando muito a aparecer. Como ela demorava, desistimos e resolvemos voltar depois.

Perdemos um tempo nisso e depois fomos procurar uma loja de neumáticos (pneus). Achei uma loja com pneus Fate 0 Range Runner AT a R$ 340,00. Escolhi este pneu e mandei instalar.

Saimos de lá as 11:00 e resolvemos, antes de voltar a aduana, ver os preços nas free shops de Rivera.

Não se iludam muito, o preço ao é tão mais barato e algumas coisas, como tênis tem o preço quase igual ao do Brasil, se não forem mais altos. Andamos e andamos e não achamos nada com um preço interessante. Somente vi um telefone sem fio G&E com 2 aparelhos por uns 105 reais, mas não comprei. Amarula está 13,9 dolares. Perfumes tbm tem um preço bom.

Fomos almoçar e comemos uma parrillada e o preço foi de 69 pilas, muito bom…  :-)

Após isso voltamos na aduana e a mulher não estava lá… Disseram-me para esperar até 14 hs e nada. Resolvi seguir em frente até a aduana da saída da cidade. Lá me foi dito que nem precisava de carimbo nem nada, era só mostrar a autorização na entrada e saída… Caspita, perdi uma hora a toa…

Seguimos para Paysandu. Uma estrada bem ruim. A conselho os viajantes a evitar este caminho entre Rivera, Tucuarembo e Paysandu. A maior parte da estrada é bem ruim, com asfalto velho, cheio de buracos e com um trecho sendo totalmente refeito (uns 8 Km).

Outro detalhe: tem um posto de combustível uns 5 km antes de chegar a Paysandu. Parei lá pois queria ir ao banheiro, mas não abasteci pq achei que haveria outro posto antes da ponte. Como não havia mais postos tive de voltar e entrar uns 3 km adentro de Paysandu para achar outro posto e La me arrancaram o couro. Eu não sabia que o diesel lá era mais caro que na Argentina, fora que a menina do caixa me logrou pq eu não soube fazer a conta da conversão de pesos Uruguaios para Argentinos, Devo ter sido enganado em uns 80 reales  :-(

Nota: sempre levar uma calculadora e ter o valor do cambio do dia.

Na aduana da divisa do Uruguai com a Argentina os tramites são compartilhados, assim fizemos a saída do Uruguai e entrada na Argentina no mesmo lugar. O problema era a fila que demorou uma hora…

Com duas horas perdidas no roteiro só deu pra chegar a Nagoya, Entre Rios. O planejado era Victoria ou Rosário.

Encontramos outro hotel simples a AR$ 190 o quarto (mais ou menos 81 reais, ou 40,5 reais para cada), mas este pelo menos tem desayuno (café da manhã). Como nosso quarto era muito no fundo não pegava wifi lá. Por isso estou postando somente hoje pela manhã (28/12). Tinha outro, o Hotel Luz, mas na rua em frente não tinha lugar para estacionar e descer as bagagens. O preço era 215 pesos e o lugar parecia ser bem melhor que este em que ficamos.

Ainda não escolhi as fotos para postar.

Por hoje é só pessoal.

SONY DSC SONY DSC SONY DSC